quinta-feira, 7 de julho de 2011

A imagem da Italia, dos brasileiros,na sociedade e no mundo..

                                        Berlusconi em mais uma"brincadeirinha de nada"em um um video                                         mesmo sendo primeiro-ministro de um pais.

Veja esse video aqui embaixo.Que classe para um chefe de estado,nao?E o povo e seus defensores(maioria)  sao iguais a ele porque ele representa a maioria(democracia>votos>eleiçoes) a quase VINTE ANOS.




Para alguns homens brasileiros essa é a imagem de um vencedor. Falar portugues errado, como um marginal,ser ignorante, se orgulhar de ser "malandro",se vestir com joias de ouro,chamar qualquer um que estude ou tenha algo de playboy,ter dinheiro e fazer o errado pois "nao teve oportunidade".Afinal,isso nao é "nada, a vida é curta e eu sei o que faço(arrogancia de moleque)".Hoje com o mundo globalizado muito brasileiro que rala muito por todo o planeta sobrevive com esse extereotipo todo o dia so por ser brasileiro e ser a nossa imagem aqui fora pois nao passa coisa boa do Brasil na TV,visto nao sabermos vender a nossa imagem ou noa impor.


 Realmente imagem nao é" nada ".Tipico exemplo de quem faz o que quer pois é "livre e paga as proprias contas".Depois quer ser reconhecida pela classe, cultura e ser respeitada.Outro caso em que mulheres brasileiras pagam o pato de mulheres"exemplares como essa acima".Claro, a imagem nossa "pouco importa".Muita brasileira no exterior se comporta assim pois "é divertido e so uma brincadeirinha".


Boa tarde.
Muitos leitores e leitoras me questionaram sobre como demonstrar a imagem nossa(brasileiros), dos italianos e etc perante o mundo. Fui questionado com perguntas e afirmaçoes via e-mail como:"sou o que sou e quem cuida da minha vida sou eu","eu pago minhas contas","sou livre e faço o que eu quero",etc.

Sinceramente parecia que ouvia frases do Berlusoni na TV.
Claro que ninguém pode mudar o que é em essencia. Mas acho que esse papo é muito egoista e individualista.Obviamente também que cada um é dono do seu nariz e pode fazer o que quer. Voce pode se suicidar, virar um criminoso, etc etc Porém, tem uma coisa que as pessoa pensam somente depois : vivemos em sociedade e na sociedade a nossa imagem conta e muito. Igual a quando voce comete um crime depois ou faz algo ilicito ou imoral voce talvez se pergunte: porque eu fiz isso?

Olhe o Curriculum de alguém.Ninguém mostra so o seu pior pra conseguir um bom emprego. Nao é hipocrisia.Somos ligados a nossa imagem, faz parte. Voce nao pode viver pra ela e so querer aparecer.Aqui eu quero chegar. E quando voce faz algo nao muito bom sabendo que o seu povo e pais tem uma péssima imagem o que acontece?Voce reforça a péssima imagem e depois nao adianta reclamar que a culpa é do Ministèrio do Turismo, Deus, do José e da Maria. A culpa é sua. Pra omissao vale o mesmo recado.

Voltando ao Berlusca é essa a resposta dele individual:" da minha vida cuido eu, pago minhas contas, cada um tem liberdade de fazer o que quiser,etc).Corretissimo. Mas o que o tiaozinho vulgar-ignorante-egocentrico e rico esqueceu é que ele é primeiro-ministro e REPRESENTA UM POVO, UMA REPUBLICA. Decoro e ética nao existem pra ele.Nessas horas, Berlusconi finge que nao entende, tenta invertar o jogo colocando a culpa nos outros, nos estrangeiros, pra Europa diz que a Italia é desorganizada mas tem sol, praias e é alegre, pro Brasil mente que a Italia é um primeiro mundo como a Suiça e assim vai.

Pois bem, é assim que o mundo ve a Italia. Zona  de um politico maluco e putanheiro que acha isso nobre e ser macho.

Primeiro veja como a Inglaterra ve Dom Mafia Berlusconi.



Depois como os Estados Unidos enxergam a Italia e Berlusconi.
http://www.youtube.com/watch?v=FImNAux9ixE&feature=related

Até a Argentina ve Berlusconi de maneira estranha tsc





Porque os italianos ainda votam em Berlusoconi??


Como a Alemanha ve a Italia e Berlusconi.

http://www.youtube.com/watch?v=4CBCMChxbZU&feature=related

Italia vista pela Suécia
http://www.youtube.com/watch?v=cmurH-jtIIo&feature=related

Como a China ve Berlusconi


Italia vista pela Espanha( essas noticias foram censuradas na Italia sendo que o italiano finge nao ser verdade o que escuta e o que ve)

Documentario ingles sobre Berlusconi



E o Brasil???

Bem, o Brasil é "amigo da Italia".Melhor, o amigo de todos e devemos"entender"todos, desde Berlusconi e suas putarias, De Chavez até o presidente do Ira que é contra os direitos humanos,etc.Somos o "amiguinho camarada" de todos que vem aqui foder nos e nossas mulheres, que babam o ovo porque é "estrangeiro"..Temos que ter a "mente aberta" e "tolerancia", enquanto os outros........nao.

No caso de Berlusca, varios caem no papo dele.Quem critica alguém de direita é comunista do mal(mesmo sendo de direita) e quem o apoia é defensor da liberdae. Afinal no Brasil temos"varios descendentes de italianos aqui e devemos ser amigos de todos,apoiando a Italia sempre, afinal ver a realidade pra que?Ainda devemos isso pra eles ou pra algum imigrante por acaso depois de tanto tempo?"No Brasil "Temos que ter "pensamento positivo" e Deus vai "nos ajudar".Afinal isso nao é nada.Assim como votar em Tiririca é" brincadeira e nao é nada".Votar em um cara como ACM ou Sarney nao é "nada" ou é "brincadeira".Negar que o governo petista é igual ao de Collor em corrupçao pois isso também  nao é"nada".

Ou seja de tanto achar desculpas e ficar minimizando as coisas o Brasil ,embora agora na moda, dificilmente vai conseguir ir pra frente assim como a Italia pois coisas importantes sao "nada".

O Brasil também falha ao melhorar a sua imagem ja que pensa em um lugar no conselho da ONU.Melhorar como se criticar coisa horriveis como o funk aonde sensualizam crianças,vulgaridade,baixaria,apologia ao trafico e ma educaçao é ser "preconceituoso".Criticar qualquer coisa que seria passivel de critica em qualquer pais do mundo no Brasil é"tolher a liberdade" e a"manifestaçao cultural".Depois nao tem como nao entender porque no Brasil os moleques em brincadeiras brigam pra quererem ser o bandido e nao a policia(como em outros lugares do mundo).

 Melhorar a imagem como se grande parte do povo ainda escuta musica de bandido como o funk, adora se vestir como bandido e fazendo apologia ao crime, vota em palhaços como Tiririca,as mulheres ainda se vestem e se comportam como peito-coxa-bunda e o pais nao sabe se impor, com pouco investimento em educaçao?Até o acesso a computadore e internet é usado de modo distorcido pois em vez de privilegiarem a educaçao, privilegiam fofocas de "Vips" e besteiras no youtube pois é "engraçado". O imporante é sorrir, ser amiguinho da paz e pegar uma praia.

Melhor ir pra praia, pegar sol,carnaval, dançar um funk da moda,dança de alguma bunda, pensar na copa do mundo em vez de fazer o Brasil ir realmente pra frente e mesmo assim continuar reclamando.Nao é isso meu povo?Estamos copiando a mentalidade italiana "exemplar". Apesar de ai no Brasil o pessoal acreditar que a Italia é desenvolvida, estamos copiando o seu mode de pensar em minimizar e brincar com tudo até com coisas sérias e que esta fazendo o pais andar pra tras.A chave de tudo é essa filosofia de jerico que italianos fazeme e brasileiros copiam, apesar de paises diferentes.

23 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!
    Eu achei o seu texto um pouco preconceituoso, mas eu sei que você tem todo o direito de ser preconceituosa assim, como a moça que está sensualizando lá nas fotos tem de sensualizar. Eu não gosto de escutar funk, mas nem por isso vou dizer que é música de bandido, aliás, sou professora de ensino médio e ensino fundamental e muitos dos meus alunos escutam funk e são trabalhadores, batalham muito, ajudam a sustentar família... Que isso? Não devemos nunca generalizar ou ofender que tem um gosto musical diferente do nosso, aliás, nem quem tem um estilo de vida diferente do nosso. Não digo estilos de vida diferente tipo a marginalidade, mas simplesmente as escolhas que outros fazem e que não concordamos. Eu por exemplo, gosto de música erudita, jazz, blues, MPB e nem por isso digo que funk não presta e blá blá blá, funk presta pra quem gosta. O mundo precisa de mais mente aberta e menos pré-conceito. Só consegui trabalhar com meus alunos de comunidade carente a partir do momento que os respeitei, eu não acho certo algumas atitudes que eles tomam ou certas idéias que eles tem, mas respeito, afinal ninguém é dono da verdade absoluta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí é que está, Malu. Não concordo com o tipo de músicas veiculadas pelo funk`. Ritmos à parte, pois, cada um tem a sua preferência, várias letras dessas músicas são um enorme incentivo à prática da violência, além da vulgarização e distorção do sexo, com péssimas consequências para a mulher, como sempre. Respeitar o direito que o outro tem de viver como achar que deve é uma coisa. Concordar com isso por ser politicamente correto é outra. Então devemos aceitar tudo que cai no mundo para não sermos chamados de preconceituosos e antiquados?
      É por isso que o Brasil está tão mal socialmente. Não se pode questionar nada. Ora bolas!...

      Excluir
  3. Boa tarde Malu.
    Vc deve acompanhar o blog pra entender esse post"isolado".Obvio que a liberdade individual de cada um pode ser usada mas ela implica sempre em responsabilidade no ambito coletivo.Moro no exterior e vejo muito brasileiro sendo taxado como favelado,bandido e mulher como vagabunda.Notei que muitas vezes a culpa dessa imagem é do povo brasileiro mesmo que ja tem uma péssima imagem fora do pais e se comporta algumas vezes estilo "funk".
    Olhe, sou do RJ e detesto funk.Conheço pessoas ricas e pobres que gostam de funk.Ambas nao sabem o que realmente quer dizer funk(James Brown,etc).Ambas acham que é"brincadeira e divertido"falar como marginal,ser chamada de cachorra e dizem que isso é musica e cultura.Perceba bem as musicas:vulgaridade,sexualidade exagerada, apologia ao crime(traficantes usam os bailes funks pra fins ilicitos),ausencia de harmonia, melodia,etc tudo isso com a idéia de"diversao, alegria, manifestaçao".E isso se perpetua pois os mais novoe escutam e acham moda,brincadeirinha quando na verdade nao é.Mente aberta é importante sim, mas no Brasil somos abertos demais e tolerantes até com criminosos. Nao é a toa que todo bandido esrangeiro foge pra ai.O nosso problema nao é a liberdade, mas o modo que deturpamos o uso dela em uma sociedade civil. Fale sobre isso com os seus alunos ou deixe o meu blog pra eles. Somos um povo que quer ser reconhecido pelo mundo somente como favelas como se fossemos so isso?Voce viu o Obama sendo recebido?Todo o mundo leva as pessoas pra visitarem coisas belas. O Brasil pra ser o diferente,nao.A imagem que os estrangeiros tem é como se fossemos so bandidos e todas nossas mulheres fossem prostitutas?Acho que nao somos isso.Porque entao darmos mais motivo pra aumentarmos esse extereotipo?Adiciono que no meu RJ nasceram movimentos musicais com influencias de classes mais pobres como o samba,choro, bossa nova tendo musicos como Pixinguinha,Cartola,etc.Talento deve ser valorizado sempre e nao o que se sobressai atualmente so pela baixaria que da Ibope e queima mais o nosso filme.Olhe documentarios sobre funk no youtube. Nao me pareço com marginal com corretao,bone e falando portugues errado que nem pra arrumar um emprego ajuda.Nem gosto de mulher que se diz inteligente mas so mostra bunda, peito e diz que com cabeça de titica que isso é "liberdade".Uma vergonha total e mostra porque o Brasil nao cresce.Seja bem vinda e fale sobre seus alunos sobre isso.

    ResponderExcluir
  4. Acompanho este blog porque, além de mostrar a Itália e os italianos como são, também analisa o papel do Brasil e dos brasileiros (no Brasil e no exterior) com um mínimo de autocrítica - característica que brasileiros não costumam ter, só vendendo uma imagem deturpada de si mesmos. E ainda confundem críticas construtivas com "preconceito".

    ResponderExcluir
  5. Bom, é preciso ir por partes. Que bandidos vejam a foto de garotos armados como a imagem de um vencedor, isso se compreende. Que pessoas comuns incensem tais ícones, é menos compreensível. E pelo menos desde aquele filme O Cangaceiro, dos anos 50, os produtores culturais brasileiros têm elegido os bandidos como heróis. E quem fala português errado tem que achar isso normal, como aconselha aquela cartilha do MEC intitulada Por Uma Vida Melhor (ou seria Por Um Mundo Melhor?) que justifica os erros ortográficos e define como atitude preconceituosa a pretensão de corrigi-los. Por que é assim?

    É preciso voltar muito no tempo para responder a essa pergunta, pois essa atitude há muito se tornou automatizada entre nós, e ninguém mais se lembra da motivação original. Precisamos recuar pelo menos até os anos vinte, com sua Semana da Arte Moderna, os estudos de Gilberto Freyre; mais tarde, já nos anos 30, os romances de Jorge Amado exaltando o carnaval e as mulatas baianas, tudo sob o influxo daquele sentimento nacionalista-nativista herdado do fascismo europeu e sua busca obsessiva por raízes, por "coisas nossas", por mitos fundadores que construíssem uma identidade cultural genuinamente nossa e expurgasse a herança do estrangeiro colonizador. Foi então que elegemos os ícones destinados a ser exportados ao mundo como o retrato do Brasil: favela, carnaval, mulata, malandragem.

    Em seu contexto original nos anos 30 e 40, esse movimento podia ter um certo encanto e ingenuidade (até Walt Disney e Hollywood entraram na onda). Mas hoje em dia, podemos ver bem o tamanho do passo errado que demos. O funk pode ser um horror, obsceno e incitador da violência, mas estamos proibidos de dizê-lo: seria uma arrogância, um preconceito contra o "genuíno" Brasil das favelas. O post da Mallu Cunha mostra bem esse sentimento. Do mesmo modo, é proibido criticar a vulgaridade das passistas e funkeiras, pois isso seria renegar o mito fundador de nosso povo mestiço, gestado na fogozidade das índias e das africanas bundudas, conforme demonstrado por Gilberto Freyre e Jorge Amado.

    ResponderExcluir
  6. Prosseguindo, então foi isso: temos que expor essa imagem ao mundo, porque (presumivelmente) essa é a nossa imagem genuína, o nosso retrato. E o mundo está pronto a reconhecer isso, e não por acaso: juntou a fome com a vontade de comer.

    Como assim? Explico. Do nosso lado, estávamos ansiosos para renegar nosso ancestral europeu e afirmar nossa identidade índia e africana, centrada nas favelas e suas manifestações. E os nossos primos europeus, por sua vez, estavam e estão ansiosos para negar seu parentesco conosco. Eu tenho observado em discussões na net (e você, Druida, talvez já tenha observado in loco) que europeus em geral, particularmente aqueles que mais têm descendentes aqui, se sentem meio que incomodados quando alguém lhes lembra que a América Latina, tal como a América do Norte, foi um produto da Europa. Assim, vincular o Brasil ao conhecido cenário de tabas de índios e favelas é uma maneira de nos bastardizar, de negar nossa ancestralidade européia. Dessa forma é enfatizada aquela dicotomia Civilizado X Selvagem que eles apreciam: o civilizado é o colonizador, o selvagem é o povo autóctone; o civilizado é branco, o selvagem tem a pele escura; o civilizado mora em cidades, o selvagem mora em tabas ou em favelas; o civilizado trabalha para viver, o selvagem curte a vida; o civilizado é cristão, o selvagem é macumbeiro; o civilizado tem moral e costumes, o selvagem é expontâneo e sensual, etc. etc.

    Na verdade, essa exclusão da América Latina (nem digo só do Brasil) da civilização ocidental é tamanha, que até causou a mudança no sentido de um termo que já foi muito conceituado no passado: o latino. Cada vez mais essa designação tem sido aplicada exclusivamente aos sul-americanos em oposição aos norte-americanos, e muitos europeus têm negado ser latinos, uma vez que não são sul-americanos, mas europeus. Parecem haver esquecido que o latino, em sua origem, era o habitante do Latium, região da Itália central, onde surgiu Roma. Os italianos são o berço da latinidade, ou eu estou enganado?

    ResponderExcluir
  7. Druida,parabéns por este blog.Vc mostra a verdadeira imagem do estado e o povo italiano.Resido na Alemanha e aqui Berlusconi e italianos são motivos de piada e choque para a cultura ocidental. O problema deles é serem muito malandros e esconder as maracutaias pra debaixo do tapete,tentando ter uma credibilidade no mundo baseadas no passado antigo do Renascimento. Hoje qualquer pessoa que viaja para territorio italiano sabe que mais parece um estado da América Latina e excluido da Europa primeiro-mundista.

    O Brasil tem a tendencia de se sensibilizar com o mais fraco e assim faz com a Italia, mas nao é correspondido.Além do mais, brasileiros sao deslumbrados com qualquer naçao estrangeira e possuem baixa auto-estima.Vc comentou muito bem sobre a imagem do Brasil e isso reflete nao so o que citei, a baixa auto-estimo assim como Pedro Mundin escreveu acima.Vendemos o nosso pior porque fomos condicionados a fazer isso e achar que é normal, sendo uma critica a isso ser tornar equivocadamente"preconceito".

    Belo post.

    Melissa.

    ResponderExcluir
  8. Pedro eu concordo com vc no que diz respeito que a Italia seja o Berco da latinidade.Os europeus na verdade, nao nos classificam assim, e desconhecem o termo nesse sentido.Essa eh uma invencao toda americana. Mas o que o termo "latino" significa aqui nos EUA e qualquer cidadao vindo da America Latina. MUitos usam :white latino, latino of african descent , etc.Mas quer mesmo eh classificar os povos"morenos" da America Latina"
    Este termo eh polemico, e vem muitas vezes visto como racista. Mas ao meu ver nao eh.Porque realmente na America Latina se formou uma nova raca, o latino americano em sua maioria, eh sim mestico.Um latino eh aquele que nao pode ser, considerado puremente : um negro, um indio, branco ou asiatico. O latino seria a mistura de todas essas racas. Quando nos EUA vc tem que declarar a sua raca, em um questionario, fica dificil para um Porto Riquenho, dizer sou puramente caucasiano, mesmo que a sua aparencia seja essa. Da mesma forma , a maioria dos brasileiros.
    Se os Europeus querem negar o parentesco com os "latinos", problema deles, porque nos os "latinos", nao precisamos deles para nada. Nao vejo o porque de querer reclamar este parentesco, a mim nao interessa minimamente. Acho que devemos ter sim, ter muito , mas muito orgulho das nossas raizes, sejam elas indigenas , africanas, asiaticas, arabes ou ate mesmo europeias. Porem, o maior orgulho e de ser brasileiro,ser mestico, sem ter que me explicar e me desculpar a ninguem. E no mais, os italianos sao o passado, e o Brasil esta caminhndo para um futuro muito mais promissor do que o deles. Deixem eles falarem, porque os caes ladram ea caravana passa!Sinceramente nao entendo o porque de nem mesmo considerar a opiniao de um povo tao insignificante como o italiano.

    ResponderExcluir
  9. O problema não são os artistas que fazem as musicas denegrindo a imagem da mulher. O problema são as mulheres que além de gostarem dessas músicas, compram os cds, vão aos shows e dançam alegremente pois no final das contas parecem apreciar. O problema não é só na Bahia com seus axés de duplo sentido, o problema maior são os funks que atingem o Brasil inteiro com músicas (????) que não só chamam as mulheres de cachorras (e elas adoram), como também fazem apologia às drogas, bandidos e crimes.

    Vi mulher brasileira no exterior dançando funks e axés vulgares.O problema é naum poder criticar isso pq ou é preconceito ou vc é serio demais.Moralizar é uma palavra forte pois ninguém é padre ou santo,mas é obvio que no Brasil a invesao de valores é tanta que criticar hoje algo putrido assim se tornou errado.EU ODEIO ESSE TAL DE FUNK CARIOCA(PELO QUE LI NEM ESSE NOME PARECE SER O CERTO....)


    Priscila-DF

    ResponderExcluir
  10. No Brasil precisamos urgentemente de o bem se impor contra o mal, sem desculpas. Precisamos de educação para o povo de baixa renda, fim das bolsas esmola e cidadania pra não nos transformamos em italianos.

    Precisamos de DIREITOS HUMANOS e não DIREITO DOS MANOS PARA POLITICOS E BANDIDOS.Isso SEM ditadura mas com autoridade de um estado soberano!

    Rubens Costa Neto

    ResponderExcluir
  11. Como alguém que elege um cabra assim quer falar mal do Brasil?Vixe,que primeiro mundo de fantasia é esse?

    ResponderExcluir
  12. E o italiano ainda quer ser tido como exemplar.Vamos punir esses turistas sexuais aqui,bandidos e traficantes de mulheres.

    Mulheres,deixem de serem tontas!

    ResponderExcluir
  13. Que pena ver que voce' posta um video falso.
    Aquele nao è Berlusconi,è un fake,feito para brincadeira.
    E voce' para falar mal dos italianos quer acreditar e continua difundindo uma mentira.
    Que pena.

    ResponderExcluir
  14. desaparecido brasileiro28 de maio de 2012 03:13

    Ah, que saudade do Mensalao, do Collor, do Delfim Neto, do Paulo Maluf, do Ze' Dirceu..
    Como?
    Eì mesmo?
    Tao todos ainda ai? Livres e gozando o dinheiro roubado ao povo?
    Inacreditavel..

    ResponderExcluir
  15. DRUIDA DAS DUAS UMA : O VOCE' E' UM MENTIROSO SEM FIM, O è UM OTARIO QUE ACREDITA EM TUDO O QUE QUER ACREDITAR.

    AQUELE NAO è BERLUSCONI.

    ResponderExcluir
  16. ´Porque otario? porque mentiroso?
    voce V.Q. toma calmantes de venda sob receita médica por causa deste blog?
    todo mundo é obrigado a gostar de italiano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Otario se acredita que o cara no video e Berlusconi, mentiroso se posta o video sabendo que e' um fake.

      nao todo mundo deve gostar dos italianos,mas todo mundo deve parar de usar preconceitos como o tal de Druida,julgando um povo inteiro pelo comportamento do Belusconi.
      E se eu falasse que todos os brasileiros sao ignorantes e corruptos,voce' gostari?
      Eu nao tomo calmante, voce' deveria ler e pensar um pouco mais,pelo visto nao sabe entender o significado das palavras, e parte pela ofensa.

      Excluir
  17. Boa tarde a todos,
    sou italiano e moro em Vitoria (ES).
    Desculpe minha escritura que ainda nao e' perfeita.
    Esto artigo que encontrei e' muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito superficial.
    Antes se fala que o italianos tem precoceitos pelo brasileiros (o melhor pelas brasileiras)
    e depois se fala do preconceitos sobre o italianos que sao como berlusconi.... muuuuuuito superficial.
    Os italianos nao vem a brasileiras como putas, porque as putas nao sao as pessoas que gosta de sexo, mas as pessoas que pegam dineiro para isso que e' bem diferente.
    Quando um italiano pergunta como sao as meninas brasilianas com sexo , e' porque na Italia tem seculos de Vaticano e Igreja cattolica que incriminaron parte do sexo.
    Quando volto na Italia, muitas italianas (mulheres) me perguntam como sao as mulheres brasileiras, se elas ficam mais libres do tabu' que tem meu pais.
    Nao vou a fazer uma reflexao sobre o machismo o a endependencia da mulher porque leva tempo. Deixa-me so' dizer que pela causa do consumismo a mulher europea (nao so' italiana) subi do papel da mulher e perdeu muita feminilidade. Esta perdida do papel pode ser bom o nao para a mulher, nao sei, e' ela que tem que escolher. Eu nao tem judicio, porque na verdade e' uma coisa profunda e nao facil. Com certeza os italianos sentem falta de mulher com feminilidade e eles sao muito carinhosos com mulher estranjeras.
    Se voce pensam que o italianos sao tudo como berlusconi estao na mesma situacao do italianos que pensam que as brasileira sao putas. Esta e' uma menoranca ben menor.
    No geral os italianos gostam das brasileira pela lindeza e feminilidade, liberdade e alegria, e eles tem muito respeito pela mulheres mais que outros (tambem brasileiros, sem judicio, e' um facto). Muito brasileiros me convitarom com putas, tem varias mulheres com filhos com omens que deixaram elas sozinhas.
    Nao ficamos com preconceitos, eu amo os brasil, os brasileiros, nao penso que italianas sao melhor da brasileira pela familia e tambem nao penso o contrario.
    Eu estou demostrando aqui no brasil com meu comportamento que os italianos sou muito trabalhadores e respeitosos, inspirado a os italianos que chegaram aqui, eu sou um novo emigrante que tem que mostrar valor e contribuir pela sociedade do pais que gentilmente me ospita. No mesmo tempo estou aprendendo a cultura brasileira que e' muito interessante, como a danca popolar que infelizmente a importancia foi perdida na Italia. Vou realizando que tenho muito da aprender aqui e estou feliz de deixar meu contributo.
    Abracos para tudos mulher e omen, que os italianos e os brasileiros sejam sempre mais juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrando que na ww2 as garotas e mulheres italianas se prostiuiram em massa com os passantes daquele momento, dando origem a muitos italianos de paternidade desconhecida...
      isso eles não lembram, não comentam?

      Excluir
    2. Anônimo acima , seu comentário, além de não acrescentar absolutamente nada de útil a discussão, é de uma vilesa sem propósito.

      Excluir
    3. Mas é um fato, pensão mensal que o governo alemão e ingles paga a italianos filhos da campanha na ww2 se informe e verá...

      Excluir
  18. Tem muita gente que não sabe de nada e fica só falando besteira, vão se informar e parem de encher linguiça.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e volte sempre para postar.Seja educado que as pessoas serao educadas com voce.Manifestos racistas e xenofobos nao serao bem recebidos.Argumente com fatos e aprenda a aceitar a opiniao dos outros.

Druida e Maga.