quarta-feira, 14 de março de 2012

Dicas ao Ministério do Turismo,o Principe e nosso extereotipo que alimentamos

Charge do cartunista Alpino sobre o Principe Harry.

Sempre desejamos dar umas dicas ao Ministério do Turismo que pelo jeito anda perdendo muito dinheiro sem fazer publicidade de coisas realmente boas do Brasil.As terriveis,o mundo todo ja sabe.Enquanto brasileiros so idealizam coisas boas dos estrangeiros,estes jogam os seus podres debaixo do tapete e nos compramos a idéia,idealizando um exterior perfeito que nao existe.

Aqui no exterior ve-se propagandas de varios paises.Na Europa,continente grande com muitos paises bem diferentes,ricos,pobes e bem perto um do outro,pode-se enxergar publicidades de coisas até banais a toda hora para voce visita-los.Tudo marketing pra tirar $$.Ja no Brasil so falamos de praia,festa,carnaval e copa do mundo.Bem,achamos que o Ministério do Turismo pode fazer melhor que isso.Que tal investir em...

1-Turismo gastronomico:so idiotas brazucas como a tal Val Marchiori( que so quer coisas importadas)e nao sabe valorizar a propria cultura e economia pra ser deslumbrada assim.Em qualquer pais da Europa a propria culinaria é muito valorizada.E.g.?Ninguém vai a Espanha e quer provar comida francesa pois é chique.Cada povo valoriza a sua culinaria e so o brasileiro,deslumbrado ao quadrado pra querer que lugares futeis no Brasil(ops,chique)tenham uma gastronomia importada como se isso fosse requinte.A culinaria brasileira nao precisa disso.
2-Agroturismo: fazendas,campos,plantaçoes sao uma fonte de renda de muitos paises que sabem investir nisso.Valorizar a terra de onde vem o nosso alimento e também as pessoas que trabalham nela.Nao precisam ser lugares enormes,fazendas quilométricas.Valoriza-se a experiencia de coisas simples que nos tiram desse dia-a-dia estressante para pessoas que nunca viram um arvore ou um cavalo.
3-Turismo historico :Isso achamos engraçado.Brasileiro em geral,fala mal do Brasil pra se sentir adaptado e quer conhecer tudo da cultura do outro pais,sendo que nao sabe nada da sua.Os museus aqui na Europa lucram com esses falsos intelectuais.Na verdade os museus sabem vender bem e isso faz com que pessoa suportem horas na fila pra ver uma obra ou uma parede.No Brasil o nosso turismo historico,tao rico de Norte a Sul praticamente é inexplorado e o governo perde uma grana preta com isso.Ah,nao acreditem que todos os museus e obras da Europa sao bem cuidados.Tem coisa caindo aos pedaços e obras nada mais que placas de rua que fazem pessoas caminharem horas so pra ter uma foto.
4-Turismo de aventura:tanta paisagem e natureza pra fazer esportes na natureza sem agredi-la mas sem ser usado....Talvez falte a um estrangeiro esperto vir ao Brasil fazer o que turismologos nao querem fazer.

Tudo isso começa com iniciativa,treinamento de pessoal qualificado(turismo de aventura principalmente)mas sem a idéia nao rola.E aqui o Brasil perde muito dinheiro mesmo e ficamos sempre naquela historia idiota de extereotipo que muito brasileiro nao se reconhece,sendo so pra estrangeiro ver:samba,carnaval,praia e festa,isso sem citar o turismo sexual que nao vemos o Ministério do turismo combater seja através de punir tais criminosos de modo severo,seja através da educaçao de gente que vende-se por deslubre do exterior.

E que tal falar da visita do Principe Harry  ao Brasil?Mais uma vez o Brasil pisa na bola.Poderiam levar o Principe para programas normais de uma naçao que quer um  lugar na ONU e é a 6ª maior economia mundial.Jardim botanico no RJ,museus no RJ,escolas militares,etc.Claro que acertaram ao organizar partidas de Rugby e corrida com o Principe.Mas no final fazem o classico do Brasil que adora o coitadismo:favelas,povo coitado,crianças pobres,mulheres olhando oPrincipe como o ¨homem mais lindo do mundo¨ e aquela imagem de povo sofrido,mais feliz e simpatico.O que sera que o dito Principe ira pensar do Brasil?E o resto do mundo que so imagina o Brasil como povo passivo,otario que ri de tudo,favelas,bandidos,gente sorridente,praias e prostitutas?Estariam errados vendo como nos vendemos?E ainda querem lugar na ONU e respeito de todos aqui fora.

Toda pessoa deve ser respeitada e isso inclui pessoas de classe mais baixa,também seres humanos,com qualidades e defeitos como todos.Divulgar o que fazem de bom e sanar suas mazelas é o que nossos governantes deveriam fazer.Mas ja usa-los como uma propaganda torta e populista de um pais rico e poderoso mas ja extereotipado como os selvagens simpaticos que rezam e sorriem sempre,sem demonstrar nossas tantas qualidades e nossa historia e cultura REAL mas sempre ja reconhecido so por seus defeitos nos parece um tiro no pé do nosso estado que depois ainda bate o pé quando governos estrangeiros tiram onda com o nosso pais.O governo brasileiro com essa mania coitadista e vitimista de mostrar so o nosso pior nao se faz respeitar e so faz publicidade negativa de si mesmo PORQUE QUER pelo jeito sendo que o Brasil nao é so favela nao e algumas pessoas moram la na sua maioria porque nao tem opçao.Nessa hora,nao culpem os estrangeiros se voces nao sabem fazer o trabalho de voces.

Dou a dica de lerem abaixo os comentarios do leitor Pedro Mundim que explica bem o que nosso governo exagera ao fazer.
Alguns leitores enviaram e-mails falando sobre isso(em negrito) e que postare nos comentarios mais além para nao sobrecarregar o post.Deixe o seu comentario também.


¨Primeira coisa que brasileiro faz quando vê algum estrangeiro é apresentar a favela, como se pessoas sem condições de ter uma moradia decente fosse motivo de orgulho pra nação e como se só isso existisse no Brasil. Mas quando algum filme ou vídeo-game feito por estrangeiros mostra alguma favela o mesmo povo que apresentou a favela pros gringos critícam dizendo que o Brasil não tem só favelas, prostitutas e bandidos, sendo que é apenas essa a imagem que tanto o povo quanto a mídia transmitem para o exterior.¨-Luíz Carlos Mendes-São Paulo-SP

¨Brasil deve ser o único lugar do mundo em que levam visitas para ver favelas, esgotos, tiroteio, subdesenvolvimento, etc. Aí mostram para as visitas uma mulata dançando samba, rodando tanto a bunda, que é perigoso até gerar um tornado. Quem faz isso deveria estar na cadeia, por denegrir o País¨-Paulo Cruz-Manaus-AM

¨Porque que todo mundo que vem ao Brasil é obrigado a visitar favela? O que tem de bom lá pra ver? A maioria das pessoas mora lá é por que não tem opção e nem todo o Brasil é favela não¨-Carlos Krug-Três Corações-MG

¨Fizeram da coisa mais feia e suja um cartão postal da cidade. Isso é jogada do póder publico, como não conseguem resolver o problema por falta de capacidade e por culpa da corrupção , mudaram a tática a apresentam esse coisa horrivel em ponto de atração turistica. Se não fosse assim as celebridades não iriam a nenhuma favela porque seus seguranças não deixariam. Se vão é porque tem todo um esquema montado pelo poder público para encobrir a monstruosidade que esses favelados fizeram do Rio.¨-Rio de Janeiro`-RJ

¨Nossas autoridades são o fim da picada mesmo. Ao inves de mostrar o que de bom temos e muito possuimo, vão mostrar samba, favela e futebol. Não estou discriminado ninguém  mas acho que passou da hora dos governantes dar a atenção as comunidades carentes e evitar de só mostrar favela. Será que o Brasil é so isso?Claro que não é.¨São Gabriel-RS

Com todo respeito ao pessoal da periferia e valorizando pessoas honestas de qualquer cor,credo e nível social,é um saco um país que tanto pretende ficar sendo visto só como pobreza e favela sendo que nem todo o Brasil é assim.Querem puxar saco pra ganhar votos,nada mais.Não precisa mostrar os milionários,mas que tal alguma coisa neutra que represente todos os brasileiros sem ser táo apelativo?Cascavel-Paraná. 

Para terminar a frase que alguns brasileiros deveriam ler:

¨O homem que torna forte os seus pontos fracos,torna-se invencivel¨-Confucio

Fale com eles.
Ministério do Turismo no Facebook:

Site

Twitter


5 comentários:

  1. Então, Druida, aqui no Brasil estamos comemorando a Semana de arte Moderna com exposições da Tarsila do Amaral! <3 E também estou reparando que os links que você apresentou não falam NADA sobre isso... sacanagem!
    Bom, pelo menos vi um casal francês no CCBB.Alguém ainda conhece a nossa arte, pena que são poucos.

    P.S.: Não vi o Abaporu! ou está em São Paulo, ou estava em outro museu que não tive tempo de visitar...

    ResponderExcluir
  2. É preciso voltar no tempo e ver quando tudo isso começou. Vou repetir mais uma vez: foi lá pelos anos 20 e 30, com aquele afã de "busca por raízes", por "coisas nossas", aquele sentimento nativista-nacionalista de auto-afirmação e rompimento com o colonizador estrangeiro (na verdade, influência do fascismo europeu, que cultivava o mesmo tipo de idéia). Na Semana de Arte Moderna procuramos romper como dito academicismo, que representaria nossa submissão a modelos importados, e criar uma nova arte que seria genuinamente brasileira (esquecidos que também eram de origem estrangeira os novos estilos que apresentavam, como o cubismo e o expressionismo). Mas foi no terreno da sociologia que esse afã nativista produziu os resultados mais duradouros.

    Procurando construir mitos fundadores que apontassem uma identidade brasileira genuína e oposta ao colonizador europeu, a favela, antes desprezada, ganhou relevância antropológica e foi alçada à posição de berço de nossa cultura popular, espécie de Brasil profundo e autêntico. Como tal, ela deve ser exibida com orgulho ao visitante. E tem sido, não apenas pelas companhias de turismo, mas também por sociólogos, escritores, cineastas e produtores culturais: o Brasil está indissoluvelmente associado à favela. O termo "favela", inclusive, aparece em muitos textos redigidos em línguas estrangeiras, já virou patrimônio universal.

    A intenção de exaltar o pobre das favelas pode até ter sido boa (ou ingênua), mas os resultados não foram exatamente os esperados. Isso pode ser conferido por qualquer um que já viu um grupo de turistas participando de um tour pelas favelas. Começa que o veículo utilizado é um daqueles jipões usados em safaris na África, os guias e motoristas também são paramentados com roupas de caçador (só falta o rifle de tranquilizante). Qualquer um sabe que esse tipo de veículo não é necessário para se chegar até as favelas, e é óbvio que os turistas que participam do tour não têm qualquer interesse cultural ou antropológico, mas é apenas um exercício de sadismo e deboche da parte deles. Eles vão lá como quem vai para um circo de aberrações. Creio que faz bem para o ego deles comparar a pobreza dos favelados com seu próprio bem-estar, isso fortalece a dicotomia Civilizado X Selvagem que eles cultivam em relação a nós.

    Mas fazer o que? Ser contra a exposição dos favelados tornou-se politicamente incorreto, vão dizer que somos elitistas, racistas, preconceituosos e queremos esconder a pobreza de nosso país. Penso que o primeiro passo é nos convencer de que favelas não têm nenhuma relevância antropológica - não são como tabas de índios ou como medinas (bairros árabes tradicionais) que são visitadas normalmente por turistas porque são de fato curiosidade antropológica. Os habitantes das favelas são brasileiros iguais a nós, só que pobres, e o único real atrativo da favela para os estrangeiros é justamente essa pobreza, que se torna alvo de escárnio para eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro... se a origem dessa dicotomia está na Semana de Arte Moderna... as obras daquela época pioram a situação?

      Excluir
    2. Não digo que pioraram, mas mostraram uma neurose nossa que de certa forma dura até hoje. Nós queríamos de qualquer forma rejeitar a herança do colonizador e adotar manifestações culturais que fossem "genuínas", coisas nossas, e nem reparamos que as novas formas de arte que o pessoal estava apresentando também tinham sua origem no colonizador europeu.

      Do mesmo modo, nós achávamos que, ao proclamar a favela como o lar do brasileiro genuíno e detentor da verdadeira cultura popular, apenas introjetamos um antigo preconceito que o colonizador sempre nutriu a nosso respeito: a dicotomia Natural X Civilizado. O Natural não tem preocupações materiais ou morais, é expontâneo e instintivo, e passa a vida dedicado apenas a comer, beber, dançar e fazer amor. O Civilizado é regido pelo intelecto e pelos costumes, ganha a vida com seu trabalho e não sabe se divertir, etc. etc.

      A obcessão de renegar nosso colonizador europeu só produziu o efeito de apagar nossa identidade européia original e substituí-la por representações caricaturais e grotescas, calcados na imagem que o senso comum dos povos do norte têm a respeito dos povos tropicais: aquele bando de morenos pelados dançando e gritando Uga-Buga, e tal. Que outra coisa o gringo tem em mente ao visitar uma favela ou assistir ao carnaval?

      Acho que devíamos começar por tentar responder a essa pergunta: por que diabos mesmo nós queríamos tanto renegar nosso colonizador?

      Excluir
  3. cidadao do mundo9 de maio de 2012 18:52

    Parlamento Europeu cancela ida à Rio+20 e critica Brasil
    Alto custo da viagem foi apontado como justificativa para a mudança de planos
    O GLOBO

    Publicado:
    8/05/12 - 18h58
    Atualizado:
    8/05/12 - 18h58
    Envios por mail: 8 O Parlamento Europeu decidiu, nesta terça-feira, cancelar a ida da delegação de eurodeputados que participariam da Conferência da das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que será realizada no Rio de Janeiro, entre os dias 20 e 22 de junho. A justificativa apontada foi o elevado custo da viagem. A medida foi tomada pelos coordenadores da Comissão do Meio Ambiente da instituição, que constataram que os gastos seriam muito altos e injustificáveis num período de crise, afirmaram à agência EFE fontes da comissão.

    — O Parlamento cancelou sua delegação na Rio+20 pelos custos excessivos. O Brasil deveria realmente controlar os custos para evitar um grande fracasso — afirmou pelo Twitter o deputado holandês Gerben-Jan Gerbrandy.

    Gerbrandy se mostrou "decepcionado" pelos abusos do setor hoteleiro da cidade, que pedia até 600 euros por noite, e considerou que o governo brasileiro deveria intervir nesta situação, sobretudo levando em conta a realização da Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

    Num debate realizado na Comissão do Meio Ambiente em 26 de abril, o eurodeputado alemão Matthias Groote explicou que o preço estimado da hospedagem da delegação teria aumentado de 10 mil euros previstos inicialmente para 100 mil euros.

    Na ocasião, os coordenadores decidiram enviar apenas um eurodeputado para a conferência, mas hoje cancelaram totalmente a missão. Onze eurodeputados viriam inicialmente para a Rio+20.

    — Os organizadores mudam as condições constantemente, pedem que as reservas sejam feitas por uma semana completa, apesar de não precisarmos deste tempo — lamentou Groote, que ainda afirmou que a organização também não teria oferecido aos deputados europeus uma sala de reuniões — É uma pena que os organizadores, e não só eles, nos tenham levado a isto. Quando se quer convidar o mundo inteiro é preciso tratar os convidados de outra maneira.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e volte sempre para postar.Seja educado que as pessoas serao educadas com voce.Manifestos racistas e xenofobos nao serao bem recebidos.Argumente com fatos e aprenda a aceitar a opiniao dos outros.

Druida e Maga.