terça-feira, 19 de maio de 2015

Orgulho ou vergonha de ser italiano, brasileiro ou de qualquer outra nacionalidade? Parem com esta besteira.




Oi, pessoal do blog. Estou voltando do trabalho agora e ao chegar em casa e ir procurar umas receitas me deparei com o blog Verdadeira Itália. Fiquei surpresa ao achar um blog que mistura muitas dicas informativas e uma picante dose de realidade que para alguns pode ser até ofensiva neste mundo politicamente correto. Existem pessoas que fingem viver em uma bolha de vidro e fantasiam isso com um mentiroso otimismo. Eu sou otimista mas nunca irei fugir de fatos e do realismo que me castiga e me fortalece todo o dia. A vida existe para ser vivida com todas as suas qualidades e defeitos.

 Quero falar sobre aquela frase batida que sempre escuto aqui no exterior. Pessoas que dizem que possuem vergonha de ser italianos, mexicanos, brasileiros, portugueses...ou qualquer outra nacionalidade. Eu também sou descendente de italianos por parte paterna e materna. Morei em Firenze, Napoli, Roma e Mantova por 3 anos sendo vendedora e viajando de carro por estradas italianas. Mas cansei do estilo de vida italiano atual com a mente fechada, prepotente, racista e todas aquelas coisas muito comuns na Itália. Sei que existem defeitos e coisas boas como qualquer outro lugar mas muitas vezes devemos sair da nossa zona de conforto e dar um passo para trás para ver que podemos obter coisas melhores. Vejo a mente fechada de muitos brasileiros que moram na Itália pois se habituaram a mente fechada dos italianos. Resultado? A mente encolhe.

 Hoje morando aqui no Canadá vejo muitos dos mesmos italianos que eram contra a imigração vindo para cá atrás de melhores oportunidades pois a Itália anda falida. Jovens na Itália possuem poucas oportunidades pois o pessoal mais velho não quer largar a vaga muitas vezes por necessidade (povo) ou não perder a mamata (políticos  italianos).  A economia pioro muito. Vejo muitos italianos que vem aqui lavar privada e fazer todo aquele tipo de subemprego que não fazem na Itália por não ter classe. Eu não tenho nada contra quem faz trabalhos mais simples. Eu lavei pratos, banheiro de bar sextas a noite e outros serviços humildes. Sendo profissional e um trabalho honesto que pague as minhas contas eu faço. Mas acho estranho ver aquele povo que gosta de humilhar os outros como os italianos fazendo serviços deste tipo. Eles não eram os poderosos do Império Romano como uma vez um deles veio falar comigo de modo arrogante? Aonde foi parar aquela arrogância?

Sei que o controle da imigração é uma coisa muito importante por segurança. Imigração e racismo são coisas completamente diferentes. O mundo possui fronteiras e nações diferentes possuem leis diferentes. Devemos respeitar. Não tenho problemas com isso. Mas questiono a arrogância e cabeça fechada dos italianos que mais uma vez migram assim como fizeram os meus antepassados. Meus nonnos e nonnas eram pessoas simples e batalhadoras e mesmo passando dificuldades se adaptaram. Sinto orgulho deles. Questiono esta geração de italianos frescos que somente são livres hoje graças ao Brasil, Canadá e EUA mas ficam com futilidades e arrogância para contra vantagem.

 Vejo que muito brasileiro que nunca saiu do Brasil ou veio a turismo para o exterior com as contas pagas beijando a bunda deste tipo de gringo por ser deslumbrado. Outros idiotas ficam com aquele nacionalismo imbecil e arcaico típico dos defensores da Dilma como aquele rapaz que criticou quem mora no exterior e faz limpezas nas casas. Que besteira, né? Morar no exterior não é essa beleza toda do facebook mas tem suas vantagens e isso depende de pessoa para pessoa. As vezes o atrativo é o dinheiro convertido ou poder de compra (ambos coisas muito diferentes). Outras vezes é o maior acesso a tecnologia, mais tranquilidade, paz, custo de vida menor ou uma lista infinita de coisas boas e coisas ruins. Melhor fazer serviços humildes que ficar dependendo do estado e fazendo vitimismo.

 Conheci aqui no Canadá uma lista infinita de italianos e italianas que dizem ter vergonha de serem italianos. Reclamam da economia, dos políticos, corrupção, falta de oportunidades, relativismo moral, criminalidade, fome, máfia e toda uma série de coisas. Eles agem de modo muito similar aos brasileiros. Sinto pena destas pessoas muitas vezes. Eu não sinto vergonha por ninguém ou nada. Eu sei quem eu sou. Sou mulher brasileira, honesta, trabalho duro e honestamente, perdi os meus pais quando era pequena mas conseguir formar uma família com marido e filhos que me motiva a melhorar, aprender e são a razão da minha existência. Faço tudo por eles. Não sinto vergonha do Brasil por isso ou aquilo. Tento mostra o melhor da minha nação e se tiver que mostrar o lado feio eu mostro sem deslumbre ou revolta. Sinto uma certa vergonha alheia destas periguetes que vem pro exterior pular de cama em cama atrás de homem estrangeiro e ficam fazendo publicidade de turismo sexual e mulher brasileira selvagem na cama.  Não falo das profissionais. Falo das mulher brasileira sem valor no exterior que se prostitui por status de ser vista como boa de cama para contar para as amigas e ter dormido com vários na balada. Destas eu sinto vergonha alheia porque me afetam diretamente e já tive debati sobre o assunto que me rendeu inimizades. Mas era o certo a ser feito.

 Conselho que eu deixo aqui se alguém for ler este texto: Não tenham vergonha da nacionalidade de vocês. Mostrem quem vocês são, mostrem respeito, dedicação, profissionalismo, sagacidade, conhecimento, cultura. Aprendam sempre. Mostrem o melhor da terra de vocês. Se tiver que expor o pior, faça sem revolta, amargura ou nacionalismo socialista. Aceite uma critica construtiva e melhore. Se tiverem que enfrentar um debate honesto com farsantes, vá em frente. A honestidade tem que ser vista como qualidade e não como defeito.
 Beijos no coração e desculpem o texto longo

 Renata
 Montreal

_________________________________________________________________________________
VI: O blog  Verdadeira Italia fica muito alegre de receber idéias, posts e emails como o da Renata e os seus elogios.  Sem revolta ou amargura. Sem orgulhos ou vergonhas por besteiras. Vamos tentar equilibrar o corpo e a mente em certos assuntos, pessoal.

2 comentários:

  1. Obrigado por tudo Itália e italianos.


    Estou aqui para falar sobre os anos que morei na Itália. E tenho somente a agradecer tudo que vivi lá. Possuo cidadania italiana e sou descendente de italianos do Cento-Norte da Itália como tantos outros brasileiros. Respeito muito os meus antepassados entre os quais o meu bisavô que é ainda vivo e reside no Espírito Santo. Tenho muito orgulho de ser uma descendente deste homem que sempre foi exemplar e modelo de conduta. Agradeço a Itália por ser um lugar bonito, com montanhas, praias, ser bem localizada na Europa, pela antiga cultura que afetou positivamente o mundo, respeito os antigos imigrantes italianos que foram trabalhar no exterior e enviavam dinheiro para suas famílias que passavam necessidades na Itália. Vocês foram demais.

    Sou mais uma das tantas descendentes que desde criança amava a Itália sem nunca ter estado lá e cuja família sempre foi fanática e orgulhosa de ser italiana. Possuo tios e avós que nunca viajaram para a Itália mas possuem muito orgulho das nossas origens e não aceitam criticas de ninguém sobre a Itália. Possuo outros parentes que depois viajaram para a Itália e gastaram horrores gerando mais dinheiro para o turismo italiano.

    Quero também agradecer aos italianos e italianas que conheci nos meus 4 anos e meio morando na Itália antes de me mudar para os Estados Unidos.

    Graças a vocês amadureci. Mesmo falando o vosso idioma e sabendo da vossa cultura as vezes mais que vocês mesmos eu era taxada de ignorantes por vocês. Mesmo tendo um mestrado e sabendo falar outros idiomas eu era segundo vocês mais uma brasileira ignorante. Mesmo sendo noiva de outro ítalo-brasileiro e sempre me dando ao respeito eu era taxada de possível vagabunda por ser brasileira. Mesmo tendo uma forte ligação familiar com a Itália eu era humilhada por vocês. Aprendi com vocês a reconhecer pessoas mimadas, cheias de detalhes imbecis que negam coisas importantes, ignorantes, grossas, antiquadas, sexistas. Vocês são tudo isso além de amarem burocracia e não terem um pingo de autocritica. Vocês são o único povo do mundo que aceitam corrupção em paz mas fazem uma guerra por certos tipos de roupa e um café italiano mentiroso. Vocês não tem plantação de café na Itália. Aprendi com vocês a perceber um povo cheio de picuinhas mínimas e que arrogantemente pensa que é Deus. Isso não é cultura ou diferença cultural. Isso é ser um povo chato, sem noção de coisas importantes, narcisista e imbecil.

    Graças aos meus antepassados muitos dos vossos hábitos já eram os meus mas eu nunca tive esta arrogância italiana. Muito obrigada por me fazerem perceber que eu não sou como vocês, um povo hoje mimado, mal educado, quadrado, traumatizado, que odeia planejamento mas pensam ser os melhores. Vocês são um nada. Vocês fariam o meu bisavô sofrer um infarto do nojo de povo que se transformaram se ele colocasse os pés na sua antiga nação. Muito obrigada por me encherem tanto o saco que eu me mudei para a América com o meu noivo e percebi que quem mora na Itália por muito tempo começa a ficar como vocês como acontece com uns brasileiros que não conseguem ver além do que os olhos alcançam. Obrigada por me fazerem procurar paz e qualidade de vida. E quero lembrar que vocês não inventaram a comida. E que a gastronomia francesa é melhor e mais variada que a italiana. Vocês tem algum sabor mas não são atualmente melhores ou exemplos em nada.

    Finalmente, muita obrigada aqueles italianos e italianas pessoas amigas que são quem sabe hoje 1 ou 2 % da população e ainda são gente. Desejo muita coisas boas para vocês. Que Deus vos proteja. Espero que este blog continue a mostrar verdades. Parabéns.

    Maria Pellegrini

    Philadelphia USA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra Schincariol17 de fevereiro de 2016 21:47

      Maria, estou decepcionada....
      Vi que você foi verdadeira em suas palavras.
      Assim como vc sou descendente e estou obtendo a cidadania.
      Que triste tudo isso...
      Não sei se quero conhecer esse país agora...
      Felicidades a você e sua família!

      Excluir

Seja bem vindo e volte sempre para postar.Seja educado que as pessoas serao educadas com voce.Manifestos racistas e xenofobos nao serao bem recebidos.Argumente com fatos e aprenda a aceitar a opiniao dos outros.

Druida e Maga.