quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Preconceito na Italia: Ele realmente existe?-Parte 2



Boa tarde.

Apos postar uma primeira parte sobre preconceito e xenofobia(ambos andam juntos) gostaria de dizer que isso existe em qualquer lugar do mundo.Sim, aqui na Italia é forte a xenofobia e ignorancia de grande parte do povo(italiano médio e classe baixa).

Pra quem nao sabe a Italia encontra-se com grande parte dos jovens indo morar no exterior e os que ficam nao sao muito afeitos aos estudos( a Italia possui uma das mais baixas taxas universitarias da Europa e ja vi estudos com numeros mais baixos que o Brasil.Nao tenho certeza sobre isso).Ou seja, a educaçao italiana é précaria a nivel europeu.

Mas o que isso tem a ver com preconceito?
Simples. Os antigos italianos que migraram pelo mundo sao desconhecidos.Suas historias de imigrante,batalhas,lutas,sofrimentos foram devorados pelo tempo.
O italiano idoso de hoje que passou fome( em uma cidade comiam gatos em tempo de guerra pela falta de comida)sede,frio e medo durante a Segunda Guerra Mundial esta morrendo e poucos jovens se interessam por estudar a propria historia de um periodo nao muito feliz pra Italia.Mais facil ver o Big Brother italiano e os programas vulgares da TV italiana com stripers depos das 23h na TV aberta.

A historia do renascimento e da comida muita gente sabe de cor. Mas e sobre o fascismo?E sobre quando a Italia era um pais pobre e agricola?Melhor esconder que falar abertamente.E essa ignorancia junto ao orgulho racial de se sentirem os antigos donos do mundo,de ter perdido a guerra, se sentirem os inventores e povo batalhador de uma época gera um sentimento de orgulho de si mesmo e medo do diferente.
Se ainda esse diferente competir no mercado, pior.

A parte "fraca" de fome,sede, frio,guerras e da Italia pobre é desconhecida ou ignorada por grande parte do povo italiano. Nao tem nada a ver com a sua época de ouro do Renascimento ou da época do italiano simpatico e com familia enorme.Hoje a Italia nao é nada disso.
Entao pegam um pais pobre da Africa,América Latina, Leste da Europa e começam a exigir,julgar,etc.E como diz Saviano, um escritor famoso aqui"jogam na maquina de lama, que suja a imagem". Ou seja estrangeira é prostituta, estrangeiro nao trabalha,é terrorista, come comida nojenta, escuta musica de mal gosto,etc e etc.

Com tanta modelo brasileira bonita outro dia ligo a TV e uma frase de chamada da TV italiana diz:"A modelo brasileira mais linda e famosa é um homem".Em alusao ao filho do ex-jogador Cerezo.O italiano médio ignorante pensa" no Brasil so existe isso".Postarei algo sobre como a imagem do Brasil é queimada aqui. Enquanto no Brasil a Globo mostra a "Terra Nostra" com todos simpaticos e felizes.

Agora gostaria de me referir a quem sofre o preconceito e fica em silencio.Ou no caso de uma brasileira  famosa aqui, faz cara de quem nao entende,da um sorriso amarelo e passa a imagem"brasileiros sao burros, alegres,simpaticos e passivos" e "eu sou a bonita mulher brasileira".

Estava vendo com a minha esposa um programa da TV italiana chamado Chiambretti night e foi chamada pra ser entrevistada uma mulher brasileira famosa(sinceramente nao sei porque) que se chama Juliana Moreira. Ela é conhecida aqui na Italia por ser um "simbolo sexual"do Brasil e pra muito italiano ela é linda. Seria uma garota normal no Brasil.
Falaram de coisas "uteis" e o apresentador foi demonstrar a sua virilidade e galanteio dizendo que italianos gostam do Brasil e da mulher brasileira(tem esse comentario sempre na TV com brasileiras), em elogiar Juliana que era bonita, brasileira, curvas,etc.Nisso entra um personagem chamado Jonathan, o opinador, para dar uma opiniao sua.

Aqui a coisa CHOCANTE. O opinador diz que enquanto imigrantes italianos foram ao Brasil trabalhar e deixar o suor, o brasileiro vem pra Italia fazer festa,deixar o suor nas dançeterias e sexo. Eu e a minha esposa ficamos indignados pois conheçemos varios brasileiros que deixam o sanque aqui enquanto a brasileira Juliana restou em silencio.

O mesmo opinador Jonathan em outro programa entrevistando Julio Cesar e Suzana Verner disse que no Brasil todo mundo faz sexo em qualquer lugar por que brasileiros possuem sangue indigena. Pra acabar o programa foram chamadas 2 brasileiras modelos/dançarinas e afins que rebolavam sensualmente(Porque sera?). Ninguém se pronunciou sobre os comentarios do opinador Jonathan.

Pra finalizar a "famosa" Juliana Moreira nos seus programas com frequencia é tratada como sonsa e alegre. E ainda escuta o famoso "humor italiano" que ofende dizendo que ela tem que ter visto, nao fala bem italiano,veio das favelas, etc e etc.

Essa menina namora um italiano.Quase toda mulher da TV famosa que mostra o corpo pra ter sucesso namora um italiano.

Esse foi o teste pra TV desse "exemplo" de brasileira.Pergunta do teste:Qual é o tamanho do sutia?Pode?


Como nao ter uma imagem de bunda,futebol e sexo se as pessoas brasileiras da midia nao se defendem?Sim. As italianas fazem a mesma coisa pra aparecer. Mas por algum motivo que nao sei qual, é a mulher brasileira,brasileiros e o Brasil posseum uma certa ma fama. Pior de tudo é nao se defender.

Voces conhecem o ditado"Quem cala, consente".
Nao seria verdade?

Druida.

25 comentários:

  1. Toda mulher brasileira que dorme com um estrangeiro que pouco conhece somente pra provar e dizer ser feminista e dizer fazer o que quer dispara um tiro no proprio pé, pois assim colabora ainda mais pra perpetuaçao dessa imagem de facil, vagabunda e vulgar.

    No final das contas, quem fala da brasileira é o proprio gringo que ela escolheu dormir.
    Me excluo e detesto esse tipo de mulher brasileira que queima o nosso filme.

    Andréia.

    ResponderExcluir
  2. Quem diz que preconceito aqui é inexistente mente, é cego,tem interesse ou é preconceituoso também.

    Fabiana

    ResponderExcluir
  3. Julina Moreira com essa sua cara deslavada mostra a verdadeira imagem do nosso Brasil: bunda, sorrisos falsos, cara de palhaça e se fingir de surda perante as ofensas.

    Tudo isso por aparecer na TV e pelos R$.

    Vi o programa dela e simplesmente me envergonhei de ser brasileira.

    Ana.

    ResponderExcluir
  4. Qual homem brasileiro em rodas de italianos que nunca escutou por brincadeirinha que mulher brasileira é tudo prostituta e fazem sexo facilmente que lançe a primeira pedra.

    Ter que se explicar a toda hora é ruim demais.

    ResponderExcluir
  5. Oi Druida, adorei o blog de vcs! Sou casada com um italiano e minha sogra é maravilhosa, sempre me ajudou desde o primeiro momento que cheguei aqui, me trata como uma filha, mas volta e meia, ela e minha cunhada(que nao temos muita afinidade) fazem piadinhas me chamando de extracomunitaria. Outro dia minha sogra disse que tinha me arrumado um emprego no ospicio que a mae dela está e disse nao entender como nessa área da saúde existem mais extracomunitarios do que italianos! (eu sou logopedista, mas to esperando ainda a prova do ministerio da saúde pra poder trabalhar) Depois ela viu o que tinha dito e disse: Nao que eu tenha nada contra os extracomunitarios, ma non ci sono degli italiani!!!! No inicio eu ria e achava graça, mas agora ja estou de saco cheio dessas brincadeiras! Já pensei em dar um basta, mas o problema é que eu nao quero me indispor com elas.Gostaria de algum conselho de vcs!!! Obrigada e vou seguir o blog!
    Renata

    ResponderExcluir
  6. Ola Renata.Obrigado pelo elogio e confiança.

    Cara, se a sua sogra fosse maravilhosa nao seria assim ignorante de dar indiretas/diretas pra voce e demonstrar o desconhecimento da historia do proprio povo italiano que ja foram os extracomunitarios do planeta.

    Voce vai ter um problema porque se rolar um clima ruim, o seu marido provavelmente vai tomar as dores da mae e voce sera a nora"extracomunitaria". Saiba que voce nao é a primeira mulher brasileira a passar por isso. MUITAS PASSAM POR ESSA ROUBADA.

    Eu aconselharia voce a se impor mais, responder mais mas com educaçao e mostrando fatos de porque tanto estrangeiros na Italia(economia, filhos,etc) e a fazer essa jararaca ler um livro "quando gli albanesi eravamo noi".

    Lembre-se que voce nao deve humilhar ninguem, mas nem menos sofrer humilhaçoes de um povo nada exemplar e tao terceiro mundo quanto o Brasil.

    Na pior das hipoteses pense:voce ou a familia?E se for necessario:divorcio.Mas tente fazer essa do livro. Esse povo italiano deveria estudar menos culinaria, ver menos TV e estudar mais historia e geopolitica.

    Ignorantes totais.

    ResponderExcluir
  7. Oi Druida, concordo com vc, deveriam estudar menos sobre comida e mais sobre historia e geopolitica! Gostei da ideia do livro e acho que vou falar com meu marido tbm pra ele dar um toque nelas, pq afinal de contas daqui a pouco teremos um filho e elas o vao chamar de extracomunitario tbm???? Vou me impor mais tbm, com educação, é claro, pq acho q esse tipo de brincadeira ja deu ne??? E pensar em divorcio acho que nao é o caso, pois meu marido nunca me tratou assim! Obrigada mais uma vez!
    Renata

    ResponderExcluir
  8. De nada,Renata.

    Nao quis dizer pra voce apelar pro divorcio. Mas que deve ser pensado,deve.

    Nao sei o caso do seu marido, mas muito esposo italiano SABE DA humilhaçao da mulher pela mae,familia, amigos,etc.Nao bate de frente com a mae pela filosofia mammone e com os amigos e familia por serem da mesma origem(italiana).

    Voce nao é a primeira que ajudo ou que oriento.

    Lembre-se que a omissao também é usada pra ofender afinal quem cala consente.

    Boa semana!!

    ResponderExcluir
  9. Como quem cala consente, gostaria de alertar ao dono do blog para homofobia com relação a Lea T. O trabalho dela como modelo é sério e não tem nada a ver com o que o brasileiro médio pensa sobre a homossexualidade (viadagem, doença, etc).

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Caro anonimo.Nao quis ofender e muito menos ser agressivo.

    Vi uma entrevista dessa moça e sobre o seu trabalho e achei respeitavel.O que questiono é um pais como a Italia passar essa imagem em rede nacional de no Brasil isso é comum e normal, aumentantando o nosso estereotipo que ja é enorme por culpa da nossa passividade como povo.

    Respeito e sempre respeitei tudo e todos.Mas afirmar que uma minoria que é digna e busca o seu espaço tem mais representantividade que uma maioria é absurdo. Temos muitas mulheres e homens que fazem bom trabalho como modelo, sao heteros e nao sao pegos como modelo pois nao vende.

    O trabalho da TV italiana foi sensacionalista,vulgar e apelativo como sempre fazem pra queimar o filme dos outros quando se sentem ameaçados.

    Obrigado por postar.

    ResponderExcluir
  11. OLÁ !!!!OLHA VOU DIZER UMA COISA SOU CARIOCA E ESTOU NAMORANDO UM ITALIANO MAIS SE AMÃE DELE VIM DE GRAÇA COLOCO ELA NO LUGAR DELA RAPIDO VOU A ITALIA CONHECER A FAMILIA MAIS VOU COMO BRASILEIRA E CARIOCA E COM MUITO ORGULHO OQ ELES PENSÃO DS MULHERES AK POBLEMAS DELES MAIS SE VIM DE GRAÇA COM MINHA CARA FAÇO VALER MEUS DIREITOS LÁ COMO TURISTA E SER HUMANO

    ResponderExcluir
  12. Brasileira,carioca e pelo jeito brava:)

    Como todo o respeito, a Italia nao é novela e enfim,tudo pode acontecer com voce.Nao conheço voce mas ele provavelmente ja falou pros amigos que "pega" uma brasileira que é facil,como fazem sexo,etc.Aquela coisa que ajuda a aumentar a imagem do Brasil e da mulher brasileira pra fora,sabe.

    Como conheço algumas mulheres,voce talvez tenha feito a mesma coisa pra suas amigas pois "esta pegando/namorando"um gringo.Aquela coisa que mulher adora,demonstrar poder e coisa que brasileiro adora: o de fora é melhor.

    Boa sorte no relacionamento,prepare-se pra tudo e por favor, nao colabore pra ter imagem de so prostituta no Brasil ou de putaria.Defendo muito a mulher brasileira, mas piranha metido a falsa feminista e vitimista condeno sem do nem piedade.Pras essas recomendo morar com os Talebeans pois destroem a imagem do nosso pais.

    Obrigado por postar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, Verdadeira Itália, concordo em número e grau com muitas coisas que vc diz aqui no blog, mas, continuo não concordando com a maneira absoluta como generaliza as pessoas, em especial os italianos, e como se refere às mulheres brasileiras. A mulher que faz sexo com um gringo ou não, na primeira noite, para vc é piranha? E isto é putaria? Está claro que, antes da imagem da brasileira no exterior, vc defende seus próprios ideais de comportamento para a mulher.

      Excluir
    2. Ola.Iremos tentar explicar:
      O que achamos é o seguinte.O papo tem que ter uma coerencia.
      Se voce mostra o corpo,nao adianta querer ser reconhecida pelo cérebro.Se voce diz que quer argumentar logicamente e é forte,nao adianta depois chorar,apelar para a emoçao e tentar inverter o jogo fazendo-se de vitima.E aqui vejo muito da brasileira.Faz o que quer mas coloca a culpa no destino,estrelas,no mundoetc.Isso é fuga da responsabilidade pelos seus atos.

      Pessoalmente acho que sexo é uma coisa que tem que ser valorizada e sou consciente do desejo da mulher,nao acho errado ela ter prazer,acho que sexo deva ser debatido,ensinado nas escolas.Mas falando com meus amigos e varios lugares e leitores, 95% dos homens adora botar fogo para a mulher fazer sexo de primeira.Mas a acham uma **** depois ou nao levam fé em namorar alguem assim.Quer na Italia,EUA ou qualquer outro lugar.Na verdade muitos agradecem ao feminismo,pois esse facilitou a vida de todos nos,homens,que sempre fomos mais primitivos e selvagens e tampouco exemplares.Transamos até com uma melancia.

      O problema é que a brasileira comprou esse papo do modernismo,juntou ao calor dos tropicos que se misturou ao seu estereotipo e juntou com questoes de falsa imagem brazuca,turismo sexuale e deslumbramento aonde muitas imaginam como citou a outra leitora de o estrangeiro ser o principe amigo.Inumerso sao casos de trafico de mulheres.As mulheres que tanto se sentiam superiores moralmente por serem as romanticas e por decidirem,escolherem e serem quem comandam a escolha,hoje viraram um homem de saias,dormem com qualquer um.Mas quando convém(dormiram com caras que era roubada)agem como se fossem vitimas.E aqui entra a mulher brasileira,que faz besteira e depois nao sabe o porque da fama do mundo.Eu,homem,nao dormiria com caras assim se fosse mulher.

      Eu acho que voce pela internet ou em uns pouco encontros tem pouca chance de conhecer alguém.E isso pode ser perigoso como era o caso do maniaco do parque.Entao,em pouco tempo,romantismo de verdade nao existe pois voce nao conhece a pessoa,é tudo interesse para sexo.Mas muitas ao fazerem sexo nesse caso acima, depois dizem que o cara largou elas por nao se apaixonar,por serem vitimas,etc.
      Porque:idealizam o cara como salvador da Patria.Falta malicia.

      Ja fui ao Nordeste,sou do RJ e conheço muito lugar por ai.Turista sexual italiano é o que nao falta e o sei a imagem que eles tem da mulher brazuca:facil e estereotipada.

      Eu nao dormiria com gente assim.Condeno quem finge nao ver isso e depois coloca a culpa em Deus,no além e diz que isso é machismo.Nao da,né?

      Cade a pessoa forte e corajosa de antes??

      Excluir
    3. Vc está certo. A minha única discordância foi em relação à maneira como chamou essas mulheres que, afinal, pensam diferente de nós e usam o direito à liberdade sexual como o homem faz. Pode até ser que seja um comportamento inadequado, enfim, não recomendável por parte delas, como vc citou acima, mas, acho que não deve ser colocado como "piranhagem" ou "putaria". Na medida em que aceitamos certas atitudes como direitos dos homens, seja por sua natureza animal ou o que for, mas, as marginalizamos na mulher, contribuimos para acentuar a visão já horrorosamente sexista que a sociedade tem dos dois gêneros.
      Portanto, acho a sua visão pertinente, apenas não concordei com os adjetivos que vc usou. No mais, penso que o seu blog está sendo muito útil para ajudar a desconstruir mitos sobre a superioridade de estrangeiros, e conscientizar a mulherada do que realmente se passa no reino da dinamarca.

      Júlia

      Excluir
    4. O problema nao é usar a liberdade sexual como um homem faz(sempre nessa hora querem se comparar ao homem enquanto esse NUNCA quer se comparar como mulher.Melhor se perguntar:desde quando o homem é parametro para ser copiado?nao eram as mulheres que chamavam os homens de primitivos selvagens??isso é evoluçao??mas enfim...).O problema é serem conscientes de suas caracteristicas femininas para postarem no facebook,dizerem serem fortes,inteligentes e independentes mas na hora da oportunidade de dormirem com turistas sexuais,manés ou caras que no futuro podem ridiculariza-as,humilha-las,etc e etc,fazem a besteira para"provar e dizerem que sao mulheres"mas colocam a culpa no mundo,no homem(quando nao querem que brasileiros como eu as defenda por tambem ser brasileiro como ja virsrsrs )enfim,em qualquer um,menos em si mesmas por quererem acreditar que o mal carater que ela nem conhecia direito deu um golpe nela.Idealizam o que nao conhecem,maquiam a verdade com ilusoes e a culpa é de alguem que é mal com elas,machista,do sol,da lua,nunca delas,enfim...Na verdade,homem em geral nao idealiza,sonha,imagina,etc e é desconfiado de mulher muito facil,vulgar entre outras qualidades que ele ve so como um pedaço de carne,uma facil.Pode fingir na hora para conseguir o sexo mais facil.O machismo é uma coisa idiota,atrasada mas vamos com calma.Isso o que falo nao é machismo, é fato.Engraçado que sempre quando falam de sexo a mulher quer ser igual ao homem.A sociedade ja é sexista,assumiu o lado da mulher com inumeras vantagens e o homem visto como bandido,mas isso ainda nao é suficiente.Isso é outro fato apesar dela hoje ser livre,independente,com varias leis a seu beneficio mas ainda continua figindo ser a coitada da época da minha bisavo sem direitos nenhum(que tambem nem é assim tao real..).Eu sou da opiniao,faça assuma e deixem de serem covardes.Nao sou eu que faço a fama do meu genero sexual e do meu pais se denegrir por abrir as pernas para pessoas que idealizo e geram algum status de vaidade entre o meu grupo de amigas,ja tenho uma imagem horrivel e coloco a culpa em nao sei o que.Essas sao piores que as prostitutas normais que ainda pelo menos ganham um dinheiro.Façam, assumam.Sempre tratei mulher com respeito,mulher do bem.Mocréia tem que ser explorada pelos estrangeiros mesmos.Eu dou é risada de quem ostenta futilidade(marido e posa de rica pra ter status entre amigas).Minha esposa é de fé e ja sofreu preconceito entre brasileiras desse nivel pois era a diferente que nao se vendeu.Eu faria um filme porno com essas mocréias.Querem homem estrangeiro?Acho 500 para uma mulher ja que adoram pagar de fogosas para o mundo.Nao é a questao de pensar diferente.Isso é muito brasileiro,tentar justificar tudo com diferenças,desculpas sem fatos concretos.Se a mulher brasileira nao fosse essa otaria que abre as pernas para o primeiro estrangeiro que aparece,se mostrasse mais o cerebro que o quadril,se cortasse os caras que ja chegam pensando serem os caras,se valorizasse mais a si mesma e se fosse mais seletiva,o mundo todo iria respeita-las.Enquanto continuarem assim irao ser continuar a serem vistas como traseiros,apelidadas como traseiros bonitos,futeis,vulgares e perderem o apoio dos poucos que ainda as defendem.

      Se querem ser tratadas com igualdade homens trataram voces como tratam um outro cara,sem chamego,sem romantismo,sem beneficios.Igualdade nao condiz com luxos por ser mulher.Igualdade quer dizer isso,nao??

      Excluir
    5. Eu, também, não pretendo defender nem justificar as pessoas que usam sua sexualidade para obter vantagens. Assim, putaria e piranhagem poderiam perfeitamente definir o valor moral dessas atitudes.

      Quanto às suas posições sobre a sexualidade masculina e feminina, eu respeito, mas, penso que, o texto inteiro foi um hino ao reconhecimento dos defeitos masculinos, mas, o seu indulto social.
      Vc afirmos que isto não é não é machismo, é fato. Pois, de fato, é o mais puro machismo!
      Eu reescreveria sua frase da seguinte maneira: "o machismo existe, sim, e isto é um fato!"
      Com tudo isto, entende-se porque os homens não ambicionam os lugares femininos.

      Quanto à sociedade ter assumido o lado da mulher no sexismo, a maioria das leis que privilegiam as mulheres surgiram para defende-las de abusos praticados por uma sociedade cruel, com enormes estatísticas de abusos físicos e psicológicos, além de assassinatos.
      Será que isto também é culpa do feminismo?
      A lei Maria da Penha não parece estar dando conta da situação, tamanha a resistência social, principalmente masculina.

      Mas, disse e repito que o seu blog está sendo de muito útil para a informação e conscientização da sociedade brasileira, em vários aspectos.

      À propósito, quanto às mulheres que assumem sua igualdade de direitos com os homens terem que assumir as consequências por seus atos, concordamos inteiramente. Abraços..

      Andréia

      Excluir
  13. tenho 61 anos e tenho câncer, e após o tratemento fiquei com artrite, artrose e osteosporose, meu marido 63 tem cardiopatia aguda grave. Moro aqui na Italia há 2 anos, mas precisamente no Alto Adge, e até hoje não sofri nenhum tipo de preconceito, muito pelo contrario, aqui temos atendimento médico/hospitalar excelente e gratuito. Para voces terem uma ideia, eu estava com hipertrofia mamária há mais de 10 anos, e devido ao peso dos seios fiquei com problema na coluna, não aguentava mais andar atras de atendimento médico do INSS, pois todos os médicos que eu ia sempre diziam que eu tinha que fazer uma cirurgia corretiva de urgencia, mas nunca consegui um hospital que fizesse a cirurgia de graça e como não tinha condições de pagar, tinha que ficar tentando e esperando que surgisse uma vaga, a fim de que pudesse fazer a cirurgia. Cheguei aqui em setembro de 2010, tenho o Permesso di Soiggiorno e tirei todos os documentos (identidade, codigo fiscal, carteira de saúde, cartão ABO + para não pagarmos nenhum tipo de transporte(onibus ou trem) sem nenhum problema.Em maio de 2011 fui ao médico de familia, que me examinou e me encaminhou para o cirurgião, fiz todos os exames necessarios e fiz a cirurgia plastica, tirei 800grs de cada seio, fiquei no hospital por 8 dias e foi tudo de graça. Meu marido tem acompanhamento medico e faz todos os exames de 3 em 3 meses, desde o dia 20 desse mes que ele está cansando muito, já fez ECG, ECO, HOLTER, TESTE DE ESFORÇO, e dia 4 de abril (poque tem de ficar 5 dias sem tomar os remédios para poder fazer esse exame) vai fazer CINTILIGRAFIA MIOCARDICA COM STRESS E TUDO ISSO SEM PAGAR NADA, e tem menos de 8 dias que ele vem apresentando esse sintoma. Agora eu pergunto se nós estivessemos no Brasil, estaríamos tendo esse atendimento com tanta rapidez?
    De que preconceito que vocês tanto falam?

    Mary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhoras a voces e ao seu marido.

      O Alto Adge é uma das melhores regioes da Italia(alias,uma das regioes que considera-se mais alema que italiana em muitos lugares) em qualidade de vida,pois toda a Italia é diferente e nao é igualitaria como muitos pensam.Dizer que toda a Europa é igual entao,..mentira total.Moramos aqui perto também e se existe um lugar desenvolvido na Italia é essa regiao aqui.Citei que a Italia è muito diferente entre si mesma,postamos isso nos posts sobre separatismo.

      No Brasil voce,se nao tivesse convenio iria ter que fazer particular ou dar a sorte de achar um hospital bacana no SUS e claro,tambem dependeria da regiao pois o Brasil é mais complexo que a Italia.Se voce morasse nos EUA,teria que fazer tudo por $$,saude publica la inexiste,se voce morasse no Reino Unido,teria que ficar indo de mèdico em mèdico até ser realmente encaminhado para o especialista e isso leva tempo la.

      O preconceito que existe è aquele que fala do culo brasiliano,do estrangeiro visto como bandido,do Brasil que é so terra de puta mas nao tem ministras como as Italianas e nem somos conhecidos por exportar turistas sexuais,daquele que proibe entrada de negros em lugares,aquele que fala mal de franceses,de pessoas do leste,aquele que alimenta imagens fantasiosas de outros povos que nunca prestam.Nao é porque voce,uma pessoa com uma doença severa(eu nao trataria ninguem,muito menos uma pessoa doente mal,quem faz isso é maluco)sofreu preconceito,que ele nao existe.Quem faria isso com alguem em condiçoes como a sua?Fizera nada mais que a obrigaçao.Mas bem,isso è mania de brasileiro,o povo mais individualista do planeta:nao se ofende quando o chamam de terra de prostituta ou mulher facil,nao se ofende quando taxam ate suas qualidades e defeitos,como se italianos fosse perfeitos.Nao.E muitos nao sao perfeitos e sao incapazes de tolerar diferenças,apesae de fingirem ser.

      O preconceito italiano existe sim,como no ultimo post aonde fazem apologia ao estupro,aonde uma parte da sociedade tenta negar a globalizaçao,e esse sentimento mesquinho e podre vive escondido e aparece em momentos aonde qualquer um critica coias passiveis de critica.Mas vao ao Brasil,EUA,etc e sentam o pau em tudo.Algo esta errado,nao acha?

      Quando morei nos EUA vi pessoas da Italia maravilhadas com habitos diferentes dos outros povos e que fingem tolerar porque la tambem sao estrangeiros e fazem trabalhos que no seu pais,negam-se a fazer.

      Voce pode ter nunca passado por uma situaçao de preconceito nesses 2 anos aonde reside.Mas que ele existe,voce nao pode negar.Informe-se mais,Até a Uniao Européia questionou a Italia durante o governo Berlusconi e da Lega sobre suas medidas xenofobas.Pense nisso e melhoras.Pensamento positivo,boa alimentaçao e tratamento fazem um grande diferença.

      Excluir
    2. Em primeiro lugar, toda a minha solidariedade e preces para a senhora Mary.
      Em segundo, parabèns pelo blog. Realmente o Alto Adige è um outro mundo. Moro na Lombardia e a diferença de mentalidade e de organização é muito diferente.
      Se ela morasse em outra região, provavelmente estaria em uma lista de espera com tempos biblicos e teria um tratamento não muito melhor do que o do SUS no Brasil. Correria um outro risco, que é o da duvidosa formação de muitos médicos (na Itália não existe a meritocracia, muitos primários são incompetentes, se formaram só porque são filhos do titular de uma catedra, frequentando muito mais ou menos a universidade e contratados com concursos feitos sob medida ao seu nível de conhecimento) O resultado são erros médicos absurdos que sempre existiram mas só agora começam a ser denunciados.
      Isso é fruto da falta de instrução do italiano médio, que dá origem aos preconceitos.

      Excluir
    3. Somos gratos pelo elogio, Gilka.Seu comentario foi perfeito.Sempre falamos:parem de idealizar a Europa como toda evoluida e igual.A grama do vizinho nem sempre é a mais verde.E nem todo pais que aparenta ser superior ao Brasil o é.

      Excluir
  14. Feliciana Oliveira29 de abril de 2012 05:04

    Moro na Lombardia há 10 anos, vim para cá porque me casei com um italiano que estava no Brasil a trabalho.
    Entre namoro e casamento vivemos uma vida normal como vários casais no Brasil, cada um na sua casa, cada um com o seu trabalho, tudo isso durante 2 anos. Nesse meio tempo eu estive aqui 2 vezes para conhecer a família, o lugar, o ambiente etc.
    Sou negra, trabalho em um escritório como impiegata há quase 9 anos. Estou no meu segundo emprego, apresentei meu curriculo, fiz uma entrevista e fui contratada.
    Nestes dois ambientes de trabalho nunca sofri nenhum tipo de preconceito. Faço um trabalho muito técnico, no qual basta pouco para saber se se é preparado ou não.
    Na minha familia também nunca tive nenhum problema, nenhum tipo de piadinha estranha, a minha sogra é a minha mãe aqui na Itália. Participo da vida da comunidade, sou convidada para participar de iniciativas e atividdades da minha cidade.
    Sei que sou uma exceção, mas percebi que tem muito a ver com o meu modo de agir. A primeira coisa que eu aconselho a todas as brasileiras é aprender italiano. Mas aprender mesmo, a ler e a escrever, pois quando chego em um guichê vejo que o atendimento muda quando percebem que falo bem a lingua.
    A segunda coisa é: não dá pra chegar aqui vestida como cubista ou piriguete e esperar que te tratem como senhora. Uma vez encontrei uma coitada no supermercado, de sandália de salto vertiginoso, shortinho e com um top tomara que caia com a bandeira do Brasil. Ela estava procurando arroz, parecia perdida e acabei puxando assunto. Era a famosa brasileira souvenir: o cara vai passar as férias no nordeste, arruma uma brasileira, gosta e decide trazer pra casa. Ela não sabia nada da Itália, não falava a lingua, nada.
    As mulheres italianas não vão fazer as compras do dia-a-dia vestidas "para matar". Os italianos são muito ligados à imagem. Sair vestida como cubista é o primeiro passo para conquistar a desconfiança e a inimizade das mulheres italianas. O preconceito nasce delas e passa por elas. Eu não precisei mudar nada, no meu jeito de ser e de me vestir, mas tendo demonstrado que sou como elas e que levo a mesma vida delas, escuto várias vezes comparações com outras brasileiras e estrangeiras em geral. Uma era desesperada porque uma russa estava arruinando o seu filho (não era preconceito, mas era verdade, infelizmente), a outra, comentando sobre uma brasileira, deixou escapar: não é como você. Eu respondi que não sou eu a exceção e nem a tal tipa. O mundo é assim e no Brasil, como em qualquer país existem pessoas com caráter e modo de agir diversos.
    A terceira é informação. Como o italiano médio tem uma formação cultural muito baixa, a brasileira, sem esnobismo, sem querer botar banca em ninguém DEVE se informar, conhecer o mínimo sobre o país. Isso é importante para cultivar novas amizadades, enriquecer as relações familiares, pois o que vai aparecer é uma pessoa interessante, com conteúdo e não a gostosona do sorriso fácil e caminhar ondeggiante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é uma prova de que não podemos generalizar nada.
      Ainda que a porcentagem de italianos não racistas e xenofobistas seja de apenas 15 ou 20 por cento (não sei a porcentagem certa), devemos reconhecer estes. Concordo quando diz que certas brasileiras se vestem e comportam como periguetes, o que gera preconceito. Há que se ter respeito à cultura de um país diferente, quando se está a viver nele. Apenas não devemos abrir mão da nossa identidade brasileira completa.

      Excluir
  15. Feliciada,muito bom o seu post.Obrigado por postar.

    Anonimo/a.
    Claro que nao devemos generalizar.Devemos é nos ater a fatos e tentar ver como um povo nos ve(falando de como sao vistos os brasileiros e brasileiras).

    Mas e quando os italianos ou outros nos generalizam como os maus,bandidos da jogada,etc ja que adoram estereotipos?Porque devemos dizer amém e sermos "os hippies paz e amor,simapaticos,povo alegre"?

    Aqui entra a reciprocidade,por onde surgiu esse blog.

    Há que se ter respeito à cultura de um país diferente, quando se está a viver nele. Apenas não devemos abrir mão da nossa identidade brasileira completa.(2)
    ....que é bem mais no estereotipo que infelizmente muitos brasileiros do mal vendem.

    ResponderExcluir
  16. mas não é essa imagem da mulher brasileira que o Brasil exporta para o mundo??? quando mostramos o carnaval, o que mais aparece? em nenhum lugar do mundo as mulheres mostram suas nádegas tão ousadamente como aqui...como querem que os estrangeiros interpretem isso? sem falar nas dancinhas "da garrafa", do funk dos morros, e outras que só mostram a bunda das mulheres.acho isso vulgar e irresponsável.
    Lógico que a mulher brasileira não é isso, há milhares nas universidades e no mercado de trabalho aqui no Brasil (são maioria), mas o que a mídia vende??? poucas mulheres são famosas aqui pela sua inteligência (apesar de haver muitas!).
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo e volte sempre para postar.Seja educado que as pessoas serao educadas com voce.Manifestos racistas e xenofobos nao serao bem recebidos.Argumente com fatos e aprenda a aceitar a opiniao dos outros.

Druida e Maga.